Blog

A depressão pós-parto é frequente mesmo?

Sharing is caring!

Dentre os problemas de saúde mental no período pós-parto, a depressão é a mais conhecida e comentada. Isso significa que existem outros problemas de saúde mental que podem acometer a puérpera, entretanto, como a prevalência de outros problemas de saúde mental é menos frequente que os sintomas de depressão nesse período, pouco se comenta sobre eles.

São exemplos de problema de saúde metal que podem afetar a mulher no pós-parto: transtorno de ansiedade; estresse pós-traumático; psicose puerperal, entre outros. Pouco se sabe ainda dos problemas de saúde mental na gestação, pois ainda há poucas pesquisas a respeito. Como há o ideário de que a mulher grávida está plena e feliz, estudos nessa área ainda são negligenciados, apresentando foco maior de pesquisas no pós-parto.

Contudo, temos um elevado número de trabalhos que focam na depressão pós-parto, realizando avaliações somente nesse período, e os trabalhos indicam uma média de 20% das mulheres no mundo manifestando tal problema de saúde mental (Pereira e Lovisi, 2008).

O Brasil é considerado um país que apresenta maior prevalência de sintomas depressivos no pós-parto quando comparado à países desenvolvidos, entretanto, a maior parte das pesquisas realizados no Brasil levaram em consideração apenas o momento pós-parto, não avaliando durante o período de gestação se os sintomas depressivos já existiam.

Pesquisas recentes que avaliaram os sintomas depressivos desde a gestação até o pós-parto no mesmo grupo de mulheres indicam que os sintomas de depressão não são mais presentes no pós-parto, mas sim na gestação, no pós-parto a frequência de mulheres com sintomas depressivos diminui (Evans et al., 2009; Silva et al., 2012; Faisal-Cury e Menezes, 2012).

Outra discussão interessante é que a maioria das mulheres que são classificadas com sintomas de depressão no pós-parto, já apresentavam tais sintomas desde a gestação, ou seja, não pode-se falar que essa mulher tem depressão pós-parto, pois só é depressão pós-parto quando de fato os sintomas surgem após o parto e não anteriormente.

Portanto, seria adequado que gestantes se preocupassem em realizar também uma avaliação de sua saúde mental no período gestacional, não só o pré-natal médico é importante, como também o pré-natal psicológico. Esse último poderia identificar se a mulher apresenta algum problema de saúde mental e trabalhar para que tal quadro não se agrave ou cronifique no pós-parto.

Referencias

EVANS, J. et al. Cohort study of depressed mood during pregnancy and after childbirth. Br. Med. J., v.323, p.257-260, aug. 2001.

FAISAL-CURY, A; MENEZES, P.R. Antenatal depression strongly predicts postnatal depression in primary health care. Revista Brasileira de Psiquiatria. v.34, n.4, p.446-450, 2012.

PEREIRA, P.K.; LOVISI, G.M. Prevalência da depressão gestacional e fatores associados. Revista Psiquiatria Clínica, v.35, n.4, p.144-153, 2008.

SILVA, R et al. Sociodemographic risk factors of perinatal depression: a cohort study in the public health care system. Revista Brasileira de Psiquiatria, v.42, n.2, p.143-148, jun. 2012.

Um comentário sobre “A depressão pós-parto é frequente mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *